Conversa Aleatória - Julgando um livro pela capa

Tem um ditado que diz: ‘Nunca julgue um livro pela capa’, mas você já parou pra ouvir o artista que cria a capa, qual o processo criativo, porque ele escolheu aquela arte para expressar o conteúdo de determinado livro?
books_have_to_be_heavy_by_moonlight_traveller-d52cnkm
Se colocarmos em questão as capas da minha série de livros favorita nesse momento, “Irmandade da Adaga Negra”, eles parecem apenas um romance erótico clichê. As capas brasileiras todas consistem de um homem bonito sem camisa, com uma mulher que tem cara de safada. As capas originais são praticamente a mesma coisa, mas pelo menos tem uma adaga no título...e tem tão mais nesse livro.
2u8gfpvamante-meu-irmandade-da-adaga-negra-livro-8-j-r-ward_MLB-F-4029950546_032013
Eis que sai o 11° livro e eu realmente gostei da capa, não é muito diferente, ainda é um cara bonito seminu, mas pelo menos agora tem uma veste negra, uma adaga, e os característicos olhos de cores diferentes do guerreiro que estará em foco nesse livro. O que pra mim é o suficiente pra perceber que é mais do que um romance erótico, e me deixar curiosa, mas quem não conhece a série se tiver curiosidade, voltar lá atrás e ver Amante Sombrio, será que terá a mesma curiosidade? Eu comecei a ler “IDAN” depois de ler uma crítica em um blog dedicado a romances sobrenaturais e não sei se ele teria chamado minha atenção em uma livraria.
lover-at-last
Os livros da série Harry Potter da autora J.K. Rowling, o maior fenômeno literário da história, tão tão tão perfeito e paixão mundial (deu até vontade de ler tudo de novo), tem dezenas de versões de capas. Eu li o primeiro livro quando eu tinha 14-15 anos e acho que hoje as capas são melhores que as originais. As capas britânicas não têm o charme e o mistério do livro, a emoção de entrar em um mundo completamente diferente e mágico, é na verdade um desenho muito simples, como a daqueles livros infantis de 5-6 páginas e uma frase em cada uma, o que é apropriado para o publico alvo desse tipo de livro, mas não é especial o bastante pra um livro do calibre de Harry Potter. Eu sei que muitas pessoas gostam mais das capas originais de Harry Potter, e isso prova que o que é apelativo pra uma pessoa, não é tanto pra outra, mas isso não significa que as duas não possam amar o conteúdo do livro.
2061292757_73e8ef5397_zApresentação1
Então essas que foram atraídas pela capa ficaram curiosas leram, viram que é uma obra prima e repassaram a informação. Essa é a graça dos livros, eles não são como uma série de TV ou um filme, que tem toda a propaganda e divulgação e você se depara com algo sobre aquilo em algum lugar querendo ou não. Centenas e centenas de livros são publicados todos os dias, e nós provavelmente não conheceremos praticamente nenhum deles, a não ser que alguém o veja em uma estante, tenha curiosidade, leia goste e te conte.
Livros criam uma ligação entre os leitores que um filme ou série de TV não cria entre os telespectadores, e a capa tem sim papel importante nisso. Os livros mereciam que a capa fosse feita por alguém que o ama pra capturar o quanto o livro é especial, mas isso não é possível todas as vezes, então cabe a nós leitores, não focar somente na aparência, apenas uma virada no livro e você pode ler a sinopse, essa sim é tão importante ou mais que a capa.
A_library_by_simetta
Ainda sim a capa é a primeira impressão, é o que fica exposto, o que te chama, então se um livro chamou sua atenção, você leu e se apaixonou completamente FALE, fale sobre ele, use os artifícios todos que você tiver pra que as pessoas saibam sobre ele, seja numa conversa casual entre amigos, um post no facebook, tumblr, twitter, obrigue sua família ler, crie a conexão. Imagine quantos livros incríveis existem por aí que não tiveram alguém dedicado o suficiente à arte da capa, ou um livro que teve alguém apaixonado por aquilo, mas que tenha criado algo que é apelativo pra ela mesmo, mas não pra você. É triste pensar quantos livros estão abandonados por que estamos fadados a sermos seres superficiais que precisam do estímulo pra ir adiante.
A palestra curtinha do Designer Gráfico Chip Kidd, que começou toda essa conversa, e me fez respeitar mais as pessoas que criam essas capas, porque eu sei que boa parte delas tenta e se dedica realmente ao propósito de transmitir a mágica de um livro todo em apenas uma imagem.
E é um grande bônus a paixão com que ele fala dos livros, do prazer de ter nas mãos e cheirar um livro novo e de manter ele perto, mas essa conversa fica pra próxima vez.
Abraço de Urso
Dryka B.

0 comentários:

Postar um comentário



Dryelli, 24 anos, Maringá, PR